Sobre nós...

Captura de ecrã 2020-12-24, às 10.10.17.
Captura de ecrã 2020-12-24, às 10.08.19.

da academia ao Agir...

Esteiros é uma misturada de coisas, como eu também sou. É a minha homenagem pessoal à gente que trabalha, que constrói sonhos ou simplesmente tem a força de sobreviver. É uma mescla de memórias e de futuro, recordações e inovação. É a ruralidade sofisticada, entre o agreste da montanha e a precisão da tecnologia. É a localidade universal, das coisas da terra com os olhos no mundo. É uma forma de expressão, uma espécie de ourivesaria de sabores, cheiros e afetos. É artesanato puro, mas não me importava nada de ter uma unidade de produção toda automatizada, que até já está desenhada na minha cabeça  ;)

 

Esteiros é uma criação, onde convivem dezenas de criações, e que se ramifica em projetos diferentes. É uma brincadeira que se tornou coisa séria. Uma ânsia de agir e de transformar.

 

Começou há muitos anos atrás, talvez nas tardes de outono em que, em família, colhíamos marmelos silvestres, abandonados pelos caminhos, e em volta da mesa, às vezes já com a lareira acesa, lavávamos, cortávamos, descascávamos os frutos para meter na panela e fazer a marmelada da minha infância. Aquela mesma que eu via a minha mãe fazer e guardar em tigelas de cerâmica, cobertas de papel vegetal, em filas coloridas no topo dos armários da cozinha.

 

Vivi em cidades quase toda a minha vida, entre Lisboa, o Porto e Leipzig, onde obtive uma licenciatura  em história, a minha paixão de sempre. Gostei muito da universidade, de tal modo que quando regressei a Portugal e ingressei no mundo do trabalho, chorava todos os dias com saudades dos corredores barulhentos e do silêncio das bibliotecas. Fiz tudo por regressar à universidade, primeiro como estudante de mestrado e doutoramento e depois como docente. Mas a paixão foi esmorecendo. A eterna contemplação de realidades abstratas, a elaboração de sofisticados raciocínios sobre o significado de palavras deixou de me atraír.....queria agir, queria sentir que participava na transformação dessas mesmas realidades que me limitava a analisar.

 

Esteiros foi/ é o primeiro passo nesse caminho......por sinal muito saboroso ;)